Voluntariado

7 dicas para aproveitar ao máximo a sua experiência como voluntário





Aprender, agir e refletir sobre como todos nós podemos fazer do mundo um lugar melhor. É disso que se trata!

O voluntariado ajuda a melhorar a vida dos outros, isso é fato, mas ao mesmo tempo, pode contribuir para o seu desenvolvimento de novas habilidades, empatia e compaixão.

Como?


1 Siga sua paixão

Você é apaixonado por um problema em particular? Só de pensar, "Bom, se voluntariar seria uma coisa boa de se fazer", sinto muito, mas não é suficiente. Você pode começar, mas será que dará continuidade com o tempo?

No entanto, se você sente fortemente que pode contribuir para uma causa, como a dos animais, dos sem-teto, direitos das mulheres, pobreza ou crianças especiais, então isso é um excelente sinal e o início de uma extraordinária experiência voluntária.

Não sabe qual é sua paixão? Experimente algumas instituições se voluntariando por alguns meses e sinta no seu coração o seu propósito.


2 Verifique seu calendário

Quanto tempo você tem? Está buscando um trabalho de longo prazo? Ou você quer algo que seja curto e pouco frequente? Você poderia doar uma certa quantidade de tempo a cada semana ou mês?

Seu tempo disponível é algo importante para as organizações sem fins lucrativos – ONGs com que você se compromete. Eles contam com você!

Não sinta que você tem que se comprometer muito tempo até que você experimente. Seja honesto com a instituição e diga a eles que você está experimentando-os, mas pode estar interessado em algo a longo prazo eventualmente.

Felizmente, há oportunidades de voluntariado que podem se encaixar a qualquer momento, desde ser líder de escoteiras por um ano letivo até registrar participantes em um evento de caridade por algumas horas. As ONGs tornaram-se bem adeptas das oportunidades de voluntariado ‘feitas sob medida’ para se adequarem aos nossos estilos de vida agitados de hoje em dia.


3 Não seja tímido!

Procure organizações próximas a você que lidam com questões que lhe são mais importantes. Entre em contato e pergunte se eles têm alguma oportunidade de voluntariado. Ou você pode responder a um convite para se voluntariar para um projeto curto, se for o caso.

Questione vizinhos e amigos sobre suas experiências voluntárias e como eles se envolveram. Essa é uma forma de ter uma noção de como funciona a organização sem fins lucrativos, os tipos de oportunidades de voluntariado disponíveis e como você pode se encaixar. Se não der certo, você pode seguir em frente e buscar outras.

Você também pode ter uma ideia de quais oportunidades estão abertas, em jornais, sites e redes sociais. Sempre haverá uma para qualquer idade ou interesse. Uma opção é o site Atados, a maior plataforma de voluntariado do Brasil, com mais de 1800 organizações sociais que conseguem voluntários todos os dias.


4 Não se acomode

O trabalho voluntário não deve ser totalmente altruísta. É crucial que você aproveite o que está fazendo para que permaneça motivado.

Pense no que você gosta de fazer.

Você é do tipo "assumir o comando"? Se assim for, você não ficará feliz batendo em portas ou enchendo envelopes. Procure oportunidades de liderança, como servir em um conselho de administração, ajudar na captação de recursos ou organizar um evento.

Por outro lado, você pode não querer algo intelectualmente desafiador. Talvez você tenha o suficiente disso em sua carreira e gostaria de fazer algo simples, mas significativo. Talvez você goste de limpar, plantar um jardim ou inscrever pessoas para uma corrida de caridade.

Você pode até combinar seu amor por viagens e aventura através do volunturismo. Muitas instituições oferecem viagens voluntárias. Um exemplo pode ser o de hospedar um estudante em um programa de intercâmbio, ensinar inglês para pessoas novas em nosso país, ou trabalhar com migrantes refugiados.


5 Avalie suas habilidades

Faça uma lista das coisas em que você é bom para que você possa compartilhá-las com os coordenadores voluntários. Os especialistas em tecnologia, por exemplo, estão em alta demanda em organizações sem fins lucrativos.

Sua contribuição é única, pode ser: a sua habilidade de organização, sua capacidade de fazer um trabalho detalhado, manter registros meticulosos, ter habilidades práticas, como carpintaria ou costura, o dom para escrever ou falar em público, sua experiência médica, seu talento para a gestão de dados, seu conhecimento científico. As possibilidades são infinitas.

Quanto melhor você for para o trabalho voluntário, mais feliz você será.


6 Espere ser desafiado

O tédio e a impaciência com o processo são as maiores ameaças a uma experiência voluntária satisfatória.

Algumas Ongs são mais desorganizadas e mal preparadas para receber os voluntários. Se for esse o caso, não fique. Se eles te merecem, estarão prontos para usá-lo efetivamente.

Se você está acostumado com multinacionais, por exemplo, você pode ficar impaciente com a forma como uma organização sem fins lucrativos opera. Tente não impor a eles sua forma de trabalho. Agora, se você trabalha com coisas em vez de pessoas, você pode ter que repensar como você atua. Trabalhar com pessoas e seus problemas requer uma mentalidade diferente e mais paciente do que trabalhar com algo mais tangível.


7 Esteja aberto a mudar de ideia

Os melhores voluntários são aqueles que se abrem para novas experiências e que estão dispostos a testar suas crenças.

Você pode ser desafiado a trabalhar com pessoas menos educadas, de diferentes origens, e que parecem diferentes. Com certeza, seus estereótipos desmoronarão quando você testemunhar a dignidade de todas as pessoas, não importa suas circunstâncias.

Esses desafios são saudáveis. Você crescerá se perseverar ao invés de fugir no seu primeiro vislumbre da vida enquanto os outros a vivem.

Não deixe uma experiência de voluntário ruim assustá-lo. O voluntariado salva vidas, tanto as vidas das pessoas que você ajuda quanto a sua. Quando você investe tempo e energia para se voluntariar, você está investindo em si mesmo tanto quanto nas causas que você apoia.

Baseado no site: https://www.thebalancesmb.com/

Janaina de Abreu Gaspar

Psicóloga Clínica

CRP 06/78629

www.terapianapaulista.com

@terapianapaulista

© 2020 por IAME- Instituto de Apoio à mães de Especiais.

Estrada dos Galdinos, 250 16/2- Cotia/SP

Resp.:Luciane Bomfim

CPF: 14500765808 

Seguir

Entre em contato para mais informações

  • Instagram
  • Facebook

Horário de Funcionamento

Seg - Sex: 10:00 - 18:00

Contato: (11) 966108060

email: institutoame9@gmail.com

entrega imediata